Campanha do Banco Central nas redes sociais estimula a população a usar moedas guardadas

Ação será online, com foco no Facebook e no Twitter. O fenômeno do entesouramento gera problemas como a dificuldade de troco no comércio e o gasto público para produzir novas moedas.

Cerca de 25 bilhões de moedas foram emitidas no país desde 1994, mas o Banco Central (BC) estima que 35% dessas peças (8,7 bilhões) estão fora de circulação, guardadas em cofrinhos ou esquecidas em gavetas – o que corresponde a aproximadamente R$1,4 bilhão. Para estimular a população a utilizar esse dinheiro, o BC realiza campanha online sobre a importância de se reduzir o entesouramento, que é o armazenamento por longo período de cédulas e moedas.

Lançada pelo presidente do BC, Ilan Goldfajn, no fim de agosto, a campanha tem disseminado a importância da circulação de moedas. Nesta segunda-feira (17), a ação ganha o reforço com mais publicações nas redes sociais.

A campanha está sendo veiculada nos perfis do BC no Facebook e no Twitter. A expectativa é de alcançar até 16 milhões de pessoas, ao longo de quatro semanas.

“O Banco Central tem se esforçado para administrar os estoques disponíveis com a finalidade de atender da forma mais equânime possível às demandas em âmbito nacional, embora a produção de numerário, desde 2014, tenha sido impactada pela necessidade de se reduzir a despesa pública no país. A quantidade de moedas alcança hoje R$6,3 bilhões em valor, o que corresponde a uma disponibilidade per capita de R$31 em moedas, equivalente a 123 unidades por habitante”, afirmou Ilan Goldfajn, ao participar da campanha.

O entesouramento gera problemas como a dificuldade de emissão de troco no comércio e motiva a produção de novas moedas, o que representa gasto de recursos públicos – em 2016, o custo de suprimento de moedas alcançou R$243 milhões. Colocar moedas armazenadas em circulação também é uma atitude sustentável, uma vez que a fabricação de novas peças implica em consumo de energia e de minérios.

371 mil moedas
O BC promoveu também uma campanha interna para estimular o corpo funcional da instituição a encontrar moedas entesouradas e devolvê-las para circulação. A gincana Caça ao Tesouro premiou os funcionários e as equipes que trocaram a maior quantidade de moedas por cédulas, em máquinas instaladas em todas as representações do BC. Conscientizando amigos e familiares, os funcionários do BC coletaram e devolveram à economia 371.242 moedas, no valor total de R$94,3 mil.

Fonte

Adicionar comentário