Decisões do BC do Brasil e dos EUA fazem dólar despencar; Ibovespa fecha em alta

O real, finalmente, teve um dia bom. Uma combinação entre a nova política monetária anunciada pelo Federal Reserve, o banco central americano, e a aprovação de transferência imediata ao Tesouro do resultado cambial do Banco Central no primeiro semestre no Brasil, fez com que o dólar despencasse frente ao real.

O dólar à vista caiu 2,93%, a R$ 5,4156 na venda. É a maior desvalorização diária desde 2 de junho (-3,23%). O patamar é o mais baixo desde 13 de agosto (R$ 5,3675).

Já o Ibovespa teve uma alta significativa para terminar a semana com ganho. O principal índice da bolsa brasileira fechou a sexta-feira com alta de 1,51%, aos 102.142,93 pontos. O Ibovespa começou a semana com 101.521 pontos. Veja abaixo um resumo dos principais acontecimentos da semana.

Entre os principais assuntos que concentraram as atenções do mercado hoje, o governo aprovou a transferência imediata ao Tesouro de R$ 325 bilhões do resultado cambial do BC no primeiro semestre, para gestão da dívida pública. O presidente do BC, Roberto Campos Neto, vinha ressaltando ser a favor de alguma transferência, mas com prudência para que a operação não ficasse caracterizada como financiamento.

A cena política continua em foco. Investidores da bolsa paulista estavam de olho nos desdobramentos do afastamento de Wilson Witzel (PSC) do governo do Rio de Janeiro ao longo do dia. O Superior Tribunal de Justiça (STJ), que emitiu a ordem de afastamento, suspeita que o político esteja envolvido em irregularidades na área da Saúde.

Lá fora

Em Wall Street, o S&P 500 subiu pelo sétimo dia seguido, uma vez que a decisão do Fed alimentava o apetite por risco – a alta foi de 0,66%. O Dow Jones subiu 0,57% e o Nasdaq ganhou 0,59%.

As ações europeias caíram nesta sexta-feira, com os investidores vendendo os destaques deste ano – incluindo ações de tecnologia e saúde – e apostando nos bancos depois que o Federal Reserve anunciou sua nova estrutura de política monetária.

O índice FTSEurofirst 300 caiu 0,5%, a 1.430 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 0,52%, a 369 pontos.

Na China, as ações saltaram impulsionadas por dados econômicos positivos e impulso de novas listagens. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 2,39%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 1,6%.

Resumo da semana

O Ibovespa terminar a semana em alta com o salto desta sexta-feira. Na semana passada, o índice fechou em 101.521 pontos. Enquanto isso, o dólar perdeu de R$ 0,20 nos últimos sete dias.

A semana começou com ânimo no mercado brasileiro por causa da expectativa sobre um pacote com medidas econômicas que o governo prometia anunciar na terça-feira. O bom humor era internacional, com investidores norte-americanos animados com a aprovação de um novo tratamento para a Covid-19.

A terça-feira não trouxe grandes variações para o Ibovespa depois que o anúncio do pacote econômico foi adiado. O dólar, por outro lado, caiu a R$ 5,52 com Estados Unidos e China se mostrando satisfeitos com o andamento do acordo comercial.

A quarta-feira trouxe grandes perdas para o mercado financeiro. Foi quando o presidente Jair Bolsonaro rejeitou a proposta de Paulo Guedes para o Renda Brasil. Nesse dia, o Ibovespa caiu 1,46% e o dólar disparou a R$ 5,61.

Na quinta não houve variação no Ibovespa, que perdeu apenas três pontos. A baixa do dólar, que termina a semana na casa dos R$ 5,40 começou ontem, com queda de 0,6%.

Fonte.

Imagem:Raphael Ribeiro – 23.mar.2020/BCB

Adicionar comentário