compromisso com a sua satisfação

Fundada em 2000, a Vision Câmbio é uma instituição financeira regulada e atuante de acordo com as normas do Banco Central do Brasil e membro da ABRACAM – Associação Brasileira de Câmbio.

Nosso trabalho preserva o aprimoramento contínuo das políticas internas, normas e procedimentos de gerenciamento de riscos, assegurando as conformidades com as legislações e normativos que disciplinam a prevenção a lavagem de dinheiro e o combate ao financiamento do terrorismo e corrupção, permitindo desta forma produzir transparência e segurança aos clientes e parceiros.

Composta por uma seleta equipe com formações acadêmicas nas áreas relacionadas a comércio exterior, finanças e economia, a Vision Câmbio oferece profissionais qualificados com larga experiência de atuações em empresas dos diversos segmentos do país, que operam no mercado cambial, e através de soluções baseadas em agilidade, flexibilidade e segurança, proporcionamos resultados satisfatórios na evolução das operações de nossos clientes.

A Vision S.A Corretora de Câmbio, na busca da melhoria contínua das ações voltadas para o meio ambiente, assegura que está comprometida em sua Política de Responsabilidade Socioambiental a:

  • Promover o desenvolvimento sustentável, protegendo o meio ambiente através da prevenção da poluição, administrando os impactos ambientais de forma a torná-los compatíveis com a preservação das condições necessárias à vida;
  • Atender à legislação ambiental vigente aplicável e demais requisitos subscritos pela organização;
  • Vigilância contínua ao meio ambiente através de sistema de gestão estruturado que controla e avalia suas atividades, produtos e serviços, bem como estabelecer e revisar seus objetivos e metas ambientais;
  • Garantir transparência nas atividades e ações da empresa, disponibilizando as partes interessadas informações sobre seu desempenho na busca de tais metas ao meio ambiente;
  • Praticar a reciclagem de materiais, controlar o dispêndio de energia e atuar na conscientização do consumo das águas no processo produtivo de suas atividades, contribuindo com a redução dos impactos ambientais através de uso racional dos recursos naturais;
  • Divulgar e produzir a conscientização e o envolvimento de seus colaboradores, assim como a sociedade, a qual participamos nossos objetivos, para que atuem de forma responsável e ambientalmente correta.

Estrutura de gerenciamento de riscos e de Capital– Segmento S4

A Instituição atendendo às disposições das Resoluções do Conselho Monetário Nacional, implementou estrutura de Gerenciamento Integrado de Riscos e de Capital capacitada a gerenciar riscos de forma efetiva e prudente, monitorar os riscos e os respectivos níveis que a instituição está disposta a assumir, bem como estabelecer metas de capital que sejam compatíveis ao perfil de risco da instituição, fornecendo assim informações confiáveis aos Acionistas/Cotistas e as partes interessadas, em conformidade com as leis e a regulamentação vigente.

A instituição mantém estrutura compatível com seu porte, seu modelo de negócio, capacidade operacional e aloca recursos e capital dentro dos limites de riscos estabelecidos pelo Banco Central em consonância com seu plano estratégico e seu apetite de risco definido na sua Política de Gerenciamento de Riscos e de Capital e RAS – Declaração de Apetite de Risco.

Atribuições da Diretoria
• Fixar os níveis de apetite por riscos da instituição na RAS e revisá-los, com o auxílio do CRO;
• Aprovar e revisar, com periodicidade mínima anual, as políticas, as estratégias e os limites de gerenciamento de riscos e de gerenciamento de capital.
• Garantir que o conteúdo da RAS seja observado pela instituição;
• Assegurar a aderência da instituição às políticas, às estratégias e aos limites de gerenciamento de riscos;
• Assegurar a correção tempestiva das deficiências da estrutura de gerenciamento de riscos e da estrutura de gerenciamento de capital;
• Aprovar alterações significativas, em decorrência dos riscos, nas políticas e nas estratégias da instituição, bem como em seus sistemas, rotinas e procedimentos;
• Promover a disseminação da cultura de gerenciamento de riscos na instituição;
• Assegurar que a instituição mantenha níveis adequados e suficientes de capital e de liquidez;
Atribuições do CRO – Diretor responsável por Gerenciamento de Riscos e Gerenciamento de Capital
• Supervisionar o desenvolvimento, a implementação e o desempenho da estrutura de gerenciamento de riscos e de capital, incluindo seu aperfeiçoamento;
• Estabelecer políticas, processos, relatórios, sistemas e modelo de gerenciamento de riscos adequados e de capital compatíveis com a RAS e os objetivos estratégicos da instituição
• Capacitar os integrantes da unidade específica de Gerenciamento de Riscos e de Capital, acerca das políticas, dos processos, dos relatórios, dos sistemas e dos modelos da estrutura de gerenciamento de riscos.
• Assegurar o entendimento e o contínuo monitoramento dos riscos pelos diversos níveis da instituição.
• Subsidiar a Diretoria e participar ativamente no processo de tomada de decisões estratégicas relacionadas ao gerenciamento de riscos e de capital, auxiliando a Diretoria da Instituição.

A estrutura de Gerenciamento de Riscos e de Capital mantém sistemas gerenciais apropriados (Risk Driver e For Capital) para exercer adequado monitoramento e controle de riscos e de capital mantido pela instituição, avaliação da necessidade de capital para fazer face aos riscos a que a instituição está exposta, bem como processo de planejamento de metas e de necessidade de capital, considerando os objetivos estratégicos da instituição.

Os sistemas de Gerenciamento de Riscos e de Capital da instituição mantêm mecanismos que permitem a Instituição:

a) Identificar, mensurar, avaliar, monitorar, reportar, controlar e mitigar os riscos incorridos pela Instituição, com destaque aos riscos assumidos, considerados relevantes para a instituição.
b) Manter gerenciamento de risco integrado, possibilitando a identificação, a mensuração, a avaliação, o monitoramento, o reporte, o controle e a mitigação dos efeitos adversos resultantes das interações entre os riscos a que a instituição está exposta.
c) Conduzir processos efetivos de rastreamento e reporte tempestivo de exceções às políticas de gerenciamento de riscos, aos limites e aos níveis de apetite por riscos fixados na RAS;
d) Avaliar periodicamente a adequação dos sistemas, rotinas e procedimentos de Gerenciamento de Riscos e de Capital;
e) Avaliar continuamente a efetividade das estratégias de mitigação de riscos utilizadas, considerando, entre outros aspectos, o programa e os resultados dos testes de estresse;
f) Elaborar relatórios gerenciais tempestivos que subsidiem o processo de tomada de decisão da diretoria da instituição.

Assim a Instituição em cumprimento às disposições das Resolução CMN 4.557 de 23 de fevereiro 2017 implementou estrutura apropriada, abrangendo políticas, processos, procedimentos suportados por sistemas compatíveis com suas necessidades, com o objetivo de identificar antecipadamente, necessidades futuras de capital decorrentes de possíveis mudanças nas condições internas da Instituição e do próprio mercado de atuação.

A Diretoria está plenamente engajada no processo. Definiu e aprovou as políticas de gerenciamento de riscos e de capital e disponibilizou adequados recursos humanos e tecnológicos. É responsável pelas informações e promoveu ampla divulgação aos clientes, colaboradores e demais partes interessadas.

A Vision S/A Corretora de Câmbio, que é uma instituição financeira devidamente autorizada pelo Banco Central do Brasil, constituiu componente organizacional de ouvidoria, em acordo com a Resolução 4.433, de 23/07/2015.

A Ouvidoria da Vision é um espaço onde o cliente pode registrar reclamações, sugestões e elogios relativos aos serviços prestados por esta instituição.

Em cumprimento ao disposto no inciso V do artigo 6º da Resolução 4.433, de 23.07.2015, do Conselho Monetário Nacional, apresentamos a seguir as informações relacionadas com a atuação desta Ouvidoria no 2º semestre de 2018.

Consideramos nosso relatório interno em dois aspectos:

  1. I – Quantitativos: retratando, com periodicidade mensal, a quantidade de manifestações recebidas por tipo de assunto, quantidade de demandas solucionadas, tempo médio para solução etc.;
  2. II – Qualitativos: contendo análise e comentários sobre o desenvolvimento dos trabalhos de ouvidoria bem como sugestões para o seu aperfeiçoamento.

I – ASPECTOS QUANTITATIVOS

Relativamente ao período de 1º de julho de 2018 a 31 de dezembro de 2018, houve uma ocorrência registrada, conforme retratam os quadros estatísticos abaixo:

Legenda: I= Improcedente; PS= Procedente solucionada; PNS= Procedente não solucionada.

II – ASPECTOS QUALITATIVOS

A demanda histórica de solicitações dos clientes e usuários da VISION S/A CORRETORA DE CÂMBIO sempre apresentou números irrelevantes.

Planejou-se dotar o componente de ouvidoria de uma estrutura em que as manifestações recebidas fossem tratadas de forma transparente, independente e imparcial, com o acompanhamento até a sua efetiva conclusão, garantindo, ao mesmo tempo, um canal ágil, eficaz e gratuito para clientes e usuários dos nossos serviços.

Nossa ouvidoria pode ser acionada através dos canais abaixo:

  1. a) telefone 0800.774-5422,
  2. b) e-mail: [email protected],

À disposição para eventuais esclarecimentos.

VISION S/A CORRETORA DE CÂMBIO

Profissionais qualificados e
atendimento individualizado

Fale Conosco

Instituição regulada e atuante de acordo com as normas do Banco Central do Brasil e membro da ABRACAM – Associação Brasileira de Câmbio.

Acesso exclusivo – Clientes

LOGIN:  

SENHA: